Fim do tratamento

Que aspetos importantes para mim devo considerar?

#

Aceitar a ideia de que vai morrer pode ser algo arrasador e, depois de passar o choque inicial, pode começar a pensar no que deve fazer para se preparar.

Esta página disponibiliza uma lista de aspetos importantes sobre o seu próprio bem-estar físico e mental que deve considerar nesta altura.

Não deixo que me impeça de viver

Cuidados de fim de vida e criação de um testamento vital/diretiva antecipada de vontade

Algumas pessoas acreditam que cuidados de fim de vida e cuidados paliativos significam o mesmo. Já analisámos os cuidados paliativos noutra página do Younity, mas os cuidados de fim de vida são diferentes.

Os cuidados de fim de vida procuram definir a forma como pretende ser tratado à medida que se aproxima do fim da sua vida. Em contrapartida, os cuidados paliativos fornecem apoio para que possa viver a sua vida quando está gravemente doente, quer esteja a realizar ou não tratamento.

Uma das melhores formas de definir os seus cuidados de fim de vida é através de um testamento vital (por vezes, também denominado "diretiva antecipada de vontade"). Este é um documento vinculativo em termos legais que define determinados aspetos relativos à forma como pretende ser tratado quando não conseguir tomar as suas próprias decisões (por exemplo, se estiver inconsciente). Este documento será adicionado à sua documentação médica.

Pode ser difícil considerar ou pensar sobre documentos como este, mas estes também podem ser uma grande ajuda para a sua família no final, pois evita que os seus familiares tenham de tomar decisões difíceis sobre os seus cuidados.

O testamento vital define diversos aspetos, mas, em especial:1

  • O seu desejo de ser ou não reanimado caso entre em paragem respiratória ou cardíaca
  • O seu desejo de aceitar ou recusar tratamentos de sustentação de vida como, por exemplo, estar ligado a um ventilador ou tomar antibióticos caso desenvolva uma infeção
É gratificante

Orientação antecipada

Uma orientação antecipada é diferente de uma diretiva antecipada de vontade. Esta ajuda a definir aspetos mais abrangentes dos seus cuidados caso não esteja capaz de tomar decisões.

Incluem-se aspetos como:2

  • O local onde pretende receber os cuidados caso fique muito doente (por exemplo, em casa ou num hospital)
  • Se pretende que as suas crenças religiosas ou espirituais sejam refletidas nos seus cuidados (por exemplo, se a sua fé proibir determinados tratamentos, se pretender que sejam realizadas orações ou os últimos sacramentos em qualquer momento, ou se a sua fé indicar que o funeral deve acontecer num determinado período de tempo após a sua morte)
  • A forma como gosta de realizar determinadas ações como, por exemplo, tomar um duche em vez de um banho, dormir com um determinado número de almofadas, etc
  • Quaisquer assuntos práticos como, por exemplo, quem cuidará dos seus animais de estimação, filhos, casa, etc

Ao contrário das diretivas antecipadas de vontade, a orientação antecipada não é um documento vinculativo em termos legais. Assim sendo, é importante garantir que a sua família tem conhecimento dos seus desejos e que os deixa explícitos por escrito, num local seguro e fácil de encontrar.2

Planeei o meu funeral exatamente como queria

Preparativos fúnebres

Preparar um funeral pode ser um processo emocional e, para algumas pessoas, pode ser mais uma sobrecarga no seu processo de luto. Como tal, pode achar importante entrar em contacto com um agente funerário e definir a forma como pretende que o seu funeral decorra.

Alguns dos aspetos que pode analisar com o agente funerário incluem:

  • As roupas que gostaria de vestir durante a cerimónia, de que forma gostaria de ter o seu cabelo e, caso use maquilhagem, como gostaria que fosse
  • O tipo de serviço fúnebre que pretende; se não for religioso, pode preferir uma cerimónia humanista ou uma cerimónia ou serviço fúnebre simples
  • Qualquer leitura específica ou música que gostaria de ter na sua cerimónia
  • O tipo de caixão que pretende, ou urna caso escolha ser cremado
  • Se prefere ser enterrado, cremado ou outra solução
  • O local onde gostaria de ter as suas cinzas espalhadas ou ser enterrado
Última vontade e testamento

Testamento    

Tal como organizar o seu funeral, ter um testamento pode ser uma grande ajuda para os seus entes queridos depois de morrer, já que ajuda a definir claramente quem gostaria que recebesse os seus bens.

Algumas pessoas prescindem de fazer um testamento, pois acreditam que os seus familiares serão automaticamente os beneficiários do conteúdo do testamento. No entanto, as famílias modernas podem ter vários tipos de relacionamentos ou pode haver relacionamentos passados que tornem a divisão de bens complicada. Assim sendo, definir estas questões antecipadamente pode ajudar a aliviar alguns dos encargos com os quais os seus entes queridos terão de lidar.

Também é importante lembrar-se de que, apesar de viver com alguém durante um longo período de tempo (como casados ou numa união civil), se não estiverem casados ou unidos legalmente, outras pessoas podem contestar o seu testamento depois de o paciente morrer. Mais uma vez, definir claramente os seus desejos pode ajudar a evitar este tipo de situações.

Mais informações       

As informações aqui fornecidas são apenas um início, mas existem muitos aspetos relativos à preparação e aos cuidados de fim de vida que pode querer analisar. Pergunte à sua equipa de profissionais de saúde se o hospital ou o centro de tratamentos tem acesso a alguém que o possa orientar nos seus preparativos, de forma a garantir que o paciente e a respetiva família se sentem apoiados e o mais preparados possível para o futuro durante este período.

  1. National Health Service (NHS). Advance directive (living will). 2017. Available from: https://www.nhs.uk/conditions/end-of-life-care/advance-decision-to-refuse-treatment/#refusing-cpr-in-advance. Last accessed August 2019.
  2. National Health Service (NHS). Advance statement about your wishes. 2017. Available from: https://www.nhs.uk/conditions/end-of-life-care/advance-statement/. Last accessed August 2019.